Tive o privilégio de partilhar a minha adolescência com muitas pessoas especiais. Uma delas é a G. Uma pessoa de grande personalidade e integridade que marca quem tem o privilégio de a conhecer. Uma das pessoas que estava às 4 da manhã no aeroporto para me ver partir…

Lembro-me que nos intervalos das aulas, no colégio, e nos fins de tarde, fazíamos planos para o futuro, partilhávamos sonhos. Alguns desses sonhos não se concretizaram, outros foram remodelados e outros… bem, outros estão a ganhar forma!

Lembro-me de lhe dizer uma vez “Um dia, vais receber um postal meu, de um lugar longínquo e quando formos velhinhas, vamos tomar chá e relembrar todos os bons momentos que vivemos!”

Pois bem, a G foi a primeira pessoa a receber um postal meu, desta “minha” terra longínqua.

Quando o entreguei ao funcionário dos correios, pensei “Vai! Chega a Portugal e fá-la sorrir!”

Ela disse que lhe fez lembrar Lawrence d’Arábia! Apesar de estar cá há 2 meses, ainda não tinha realizado que estou onde ele esteve! Só ela para me lembrar dos grandes pormenores!

Como era o postal? Nada de brilhante, sem glamour, apenas uma corrida de camelos, com a cor da Arábia e o pulsar do deserto, porque afinal, a vida é uma corrida num percurso mais ou menos agreste.

Pois bem minha Amiga, a primeira parte do tratado eu cumpri! A segunda é da tua responsabilidade. Apenas tenho algumas exigências para esse “chá”: que seja na Nossa terra, com o álbum de memória no regaço e os netos ao redor! Combinado?😉